Abertas as inscrições para os cursos de “CW no relax – Nível 2”

Estão abertas as inscrições um curso de CW de “Nível 2 – CW no relax”.

Este curso destina-se a operadores que queiram incrementar a sua velocidade acima das 12 wpm.
O objectivo é ajudar os aprendentes a comunicarem em CW a 20 wpm.

Para aceder ao curso são necessários os seguintes requisitos:

O Ensinador será o CT1BQH, João Carlos Morgado, radioamador conhecido pelas suas excepcionais qualidades telegráficas, humanas e formativas que, integrado no GPCW e com o apoio de vários colegas, ajudará os colegas a superarem dificuldades e a serem melhores telegrafistas.

As inscrições encontram-se abertas a partir de agora, aqui.

CT1BQH assume coordenação das relações internacionais e integra a Coordenação do GPCW

Como referido em tempo, o João Carlos Morgado, CT1BQH, notável telegrafista, será o nosso representante junto da EuCW – Associação Europeia de CW.

Perfilando-se no horizonte outras parcerias, foi entendido em reunião da Coordenação, por unanimidade, que o CT1BQH deveria ser convidado a integrar a Coordenação.

O convite foi feito e o João Carlos Morgado aceitou prontamente.

Assim, o CT1BQH fica com a responsabilidade de representar o Grupo junto de congéneres internacionais.

GL FER WK ES TNX TO CT1BQH

73

A Marinha Americana (USN) testa um sistema de mensagens navio-navio, utilizando morse luminoso

A Marinha dos Estados Unidos trouxe as comunicações de morse luminoso para a era das mensagens de texto.

Em um teste recente, o destroyer USS Stout trocou mensagens de morse luminoso com o cruzador USS Monterey, atracado na base naval de Norfolk, na Virgínia.

Isto foi feito usando uma lâmpada de sinais adaptada com o sistema Flashing Light to Text Converter (FLTC), o que permite aos marinheiros que não entendem morse luminoso o envio de recepção de mensagens de forma rápida.

 

O clack e o flash destes sinais podem parecer uma prática arcaica que só aparece em velhos filmes de guerra, mas este simples dispositivo para enviar mensagens, usando um farol de busca, equipado com persianas, ainda é muito usado por marinhas de todo o mundo.
É, na verdade, um sistema muito simples, de baixa tecnologia, e é por isso que sobreviveu por tanto tempo.

Em uma era de sofisticados sistemas de rádio digital que podem transmitir gigabytes de dados em questão de segundos, o sinal do ALDIS tem as vantagens da simplicidade.
Não é susceptível a interferências, não pode ser escutado, funciona mesmo se a principal fonte de energia do navio ou as comunicações por satélite forem eliminadas, e pode ser usada para comunicações entre navios, mesmo sob as mais estritas condições de silêncio de rádio.

O problema é que o envio de mensagens por morse luminoso é lento.

Pior ainda, depende da proficiência do operador na utilização do código Morse luminoso e isso é um problema num mundo moderno onde Morse já deixou de ser usado no meio naval.
Isso significa que os operadores precisam ser treinados especialmente e é muito difícil alcançar a velocidade e precisão necessárias e corretas no envio e recepção de mensagens.

Desenvolvido sob o patrocínio do programa TechSolutions do Office of Naval Research (ONR), o sistema FLTC foi projetado para ultrapassar estes problemas sob a forma de um dispositivo que actualiza os dispositivos luminosos e que pode ser adaptado na parte traseira de qualquer farol.
O sistema ainda está em forma de protótipo e consiste em motores passo a passo para operar as persianas ou os LEDs que podem substituir as lâmpadas de incandescência, enquanto que, na outra extremidade, uma câmera GoPro recebe (captura) os flashes de luz (código Morse) do outro navio.

No meio, fica um conversor proprietário na forma de um tablet ou um laptop que executa algoritmos de software especialmente desenvolvidos para o efeito.
O software converte as mensagens de texto e acciona o dispositivo de sinais ou converte as mensagens transmitidas em código Morse luminoso novamente em mensagens de texto, que depois são exibidas.

Isso permite que qualquer pessoa envie e receba mensagens, sem qualquer proficiência no código Morse luminoso.
Em testes recentes, Scott Lowery, engenheiro do Naval Surface Warfare Center (NSWC), Cidade do Panamá, Flórida, foi levado de forma bastante literal.
“Pedi-lhes que me enviassem um texto aleatório. Então eles enviaram a palavra” aleatório”, diz Lowery. “Simples, mas mostra que o sistema está funcionando”.

Desenvolvido em 2015 pelo programa TechSolutions da ONR e pela Creative MicroSystems Corp, a FLTC será entregue ao Centro de Desenvolvimento de Guerra e Minas Navais (SMWDC) no final deste ano para testes e avaliação.

A esperança é que um kit de actualização do ALDIS seja enviado para toda a frota da USN no decorrer do próximo ano.
“A melhor parte deste conversor de luz intermitente é sua facilidade de uso por qualquer elemento da Marinha”, diz Lowery.

“É muito intuitivo porque reflete os sistemas de mensagens usados ​​em iPhones. Basta digitar sua mensagem e enviá-la com um botão”.

17/07/2017
http://newatlas.com/us-navy-signal-lamps-fltc-texting/50523/

 

 

GPCW – Um sucesso além do esperado!

O GPCW, com a sua simplicidade e determinação, tem-se vindo a revelar um projecto com sucesso, na promoção do CW e do radioamadorismo.

São disso exemplos os Cursos de CW online mas também o site que regista já alguns milhares de visitas!

O site foi visitado por OM’s dos seguintes países:

  • Portugal (maioria)
  • Brasil
  • França
  • Estados Unidos
  • Reino Unido
  • Espanha
  • Itália
  • Bélgica
  • Cuba
  • Suíça
  • Países Baixos
  • Argentina
  • México
  • Venezuela
  • Taiwan
  • Rússia
  • Irlanda
  • Colômbia
  • Austrália
  • Colômbia
  • Ucrânia
  • Zâmbia
  • Equador
  • Alemanha
  • Canadá
  • Polónia
  • Andorra
  • Suécia

A Coordenação do Grupo aproveita para agradecer toda a colaboração e os muitos sinais de estima e consideração que recebemos ao longo da nossa curta existência.

O GPCW é dos membros e o sucesso é de todos nós!

 

Protocolo NRA / GPCW

O Núcleo de Radioamadores da Armada (NRA) e o Grupo Português de CW (GPCW) estabeleceram um Protocolo de Colaboração, tendo em vista os seguintes pressupostos:

– Os membros de ambos partilham, em muitos casos, características e gostos comuns nas diferentes vertentes do radioamadorismo;

– Não obstante as diferenças entre o NRA e o GPCW, há sinergia identificadas que podem potenciar as actividades de ambos.

O Protocolo tem por finalidade potenciar as sinergias entre o NRA e o GPCW, promovendo a cooperação técnica, social e humana entre ambos.

No âmbito deste Protocolo incluem-se, também, actividades e eventos comuns, diligências e representações no âmbito do radioamadorismo, bem como a participação em ações de formação e de treino, concursos, activações e, de um modo geral, todas as oportunidades de cooperação que surjam, no âmbito do radioamadorismo e que as partes entendam úteis a ambos.

Sendo as vantagens de um estreito relacionamento bilateral evidentes, o NRA e o GPCW esperam poder contribuir para a melhoria do radioamadorismo nacional, considerando que este género de entendimentos deve ser a regra e não a excepção.

O NRA e o GPCW aproveitam para agradecer a todos os colaboraram na discussão e elaboração deste Protocolo.

Assinaram o Protocolo, em nome das destas duas organizações de radioamadores, o Presidente da Direcção do NRA, José Rafael Costa, CT4GN, e o responsável pela Coordenação Geral do GPCW, Edgar Moreno, CT1CKP.

A assinatura teve lugar em 28 de Junho de 2017, na sede do Núcleo de Radioamadores da Armada.”

Vídeo do evento

Fotografias do evento

CT1CKP e CT4GN
CT1CKP, Edgar Moreno pelo GPCW e CT4GN Rafael Costa, selam o Protocolo com um abraço
20170628_161523
Assinatura do Protocolo de Colaboração

 

20170628_161434
Assinatura do Protocolo de Colaboração

 

 

 

 

 

 

 

Associação Europeia de CW

Todos juntos somos mais fortes !

Conforme decisão da Coordenação do Grupo, o GPCW está em fase de adesão à Associação Europeia de CW (EuCW), que congrega os mais icónicos grupos de telegrafia da Europa.

Em Setembro de 2017, o GPCW terá terminado o seu processo de adesão a esta Associação, que defende e promove o CW.

O nosso interlocutor com o EuCW será o João Carlos Morgado, CT1BQH, que não necessita de apresentações.

Alguns clubes membros do EuCW:

Neste lote de clubes está ainda elencado o CTCW que não tem qualquer actividade desde há muitos anos.

Todos juntos somos mais fortes!…

Curso CW online “Nível 2 – CW no relax…”

O Grupo Português de CW (GPCW) informa que, nas mesmas datas previstas para os cursos online de CW, de “Nível 1 – CW na lentidão”, será promovido um curso de CW de “Nível 2 – CW no relax”.

Este curso destina-se a operadores que queiram incrementar a sua velocidade acima das 12 wpm.
O objectivo é ajudar os aprendentes a comunicarem em CW a 20 wpm.

Para aceder ao curso são necessários os seguintes requisitos:

O Ensinador será um radioamador conhecido pelas suas excepcionais qualidades telegráficas, humanas e formativas que, integrado no GPCW e com o apoio de vários colegas, ajudará os colegas a superarem dificuldades e a serem melhores telegrafistas.

As inscrições ainda não se encontram abertas.

Mais informações serão dadas oportunamente!

73