Inquérito às condições de acesso ao radioamadorismo – Região 1

IARU R1

A REF – Réseau des Émetteurs Français – pediu à IARU Região 1 para fazer um inquérito junto das associações nacionais da Região 1 (IARU), relativa às condições/características e custos dos exames e da licença.

As questões suscitadas no inquérito foram:

  • Programa de exame;
  • Questões colocadas nos exames;
  • Condução/responsabilidade pelos exames;
  • Custo dos exames;
  • Taxa anual da licença de amador.

Dos 30 países que responderam, verifica-se:

  • Em 16 países o programa de exames foi desenvolvido pelo regulador e pela associação nacional, sozinha ou em conjunto com outras associações locais;
  • Em 21 países as questões colocadas no exame foram desenvolvidas pela associação nacional, no quadro de um acordo com o regulador;
  • Em 18 países, as sessões de exame são geridas pela associação nacional, sozinha ou em conjunto com outras associações locais, no quadro de um acordo com o regulador;
  • Em 10 países a licença é gratuita ou é paga uma única vez (vitalícia).

 

Verifica-se ainda que a Alemanha é a que tem os exames mais caros (80 ou 110 Euros) e uma taxa de licença vitalícia de 70 Euro.

Contudo, os países mais caros são a Holanda e a Noruega.

Na Holanda o exame custa 62 Euros e a taxa anual é de 34 Euros.

Na Noruega paga-se uma taxa única de 210 Euros (exame e licença vitalícia).

O país da Região 1 onde é mais barato ser radioamador é a Libéria, onde não se pagam taxas de exame e de licença.

Portugal está, sensivelmente, a meio da tabela de custos.

Dia Mundial do Radioamador – 18 de Abril

Comemora-se a 18 de Abril o Dia Mundial do Radioamador.
Este dia comemora a formação, em 18 de Abril de 1925, da IARU – International Amateur Radio Union, em Paris.

Apesar de se achar, na altura, que a denominada onda curta não tinha qualquer utilidade, os radioamadores foram os primeiros a concluir que suportava comunicações a longa distância.
Assim, com a vista à utilização comercial desses menores comprimentos de onda, os radioamadores ficaram em risco de ser colocados de lado, ou seja, sem espectro…
Com vista a evitar tal situação, um grupo de pioneiros do radioamadorismo, juntou-se em Paris e formou a IARU, constituindo-se num grupo de pressão organizado.

O trabalho deu frutos e, apenas dois anos mais tarde, na Conferência Internacional de Radiotelegrafia – que precedeu as WRC’s dos nossos dias -, foram atribuídas as bandas de 160, 80, 40, 20  e 10 metros aos radioamadores.
Desde então a IARU tem-se batido na defesa do espectro dos radioamadores, tendo-se verificado a expansão das alocações de faixas de frequência que são conhecidas.

A IARU tem representados 160 países, repartidos por 3 regiões, sendo a maior organização de radioamadores do mundo, estando Portugal englobado na Região 1.

A IARU é reconhecida pelas Nações Unidas como uma ONG e pela ITU como organização internacional (CV/Art.19, No. 230).

Existem mais de  3 000 000 radioamadores no mundo!

Este Dia do Radioamador é a altura para celebrar e enfatizar a ajuda que podemos dar na educação cientifica e nos serviços à comunidade que somos capazes de presta, através de eventos e actividades.

A Rede dos Emissores Portugueses (REP) é a associação representante de Portugal na IARU, Região 1, desde 1933.

 

Vamos todos apoiar os jovens! E ganhar um Diploma…

O GPCW apoia a actividade que vai ser desenvolvida na amanhã, Quarta-feira, dia 28 de Março, no parque tecnológico de Óbidos, que engloba jovens da Escola Secundária Josefa de Óbidos e a construção e manipulação de 20 kits, na frequência de 7,023 MHz (banda dos 40 m).

Apela-se a todos os colegas que, por volta deste horário (à volta do meio-dia) estejam atentos à volta dos 7,023 MHz e respondam às chamadas que serão efectuadas.
Vamos todos contribuir para que os jovens se entusiasmem com o radioamadorismo e com o CW!

O indicativo que será utilizado será o CR5EJO e os contactos serão premiados com um diploma alusivo ao evento.

Prevê-se que, por volta do meio-dia, os jovens estarão no ar, sob a supervisão do também membro do GPCW, João Carlos Morgado, CT1BQH.
Participam ainda na actividade os colegas, CT1BXT, Rodrigo Ferreira e o CT1FFU, António Matias. O CT1DBS, Pedro Carvalho, deu algum apoio administrativo.

Esta é uma actividade que reputamos de meritória pois permite a envolvência dos jovens no radioamadorismo!

Desejamos a todos, executantes e operadores de CW uma excelente actividade.

Vy 73 ES HPE FB!

oMorse no parque

 

Vamos todos apoiar os jovens! E ganhar um Diploma…

O GPCW apoia a actividade que vai ser desenvolvida na próxima Quarta-feira, dia 28 de Março, no parque tecnológico de Óbidos, que engloba jovens da Escola Secundária Josefa de Óbidos e a construção e manipulação de 20 kits, na frequência de 7,023 MHz (banda dos 40 m).

Apela-se a todos os colegas que, por volta deste horário (à volta do meio-dia) estejam atentos à volta dos 7,023 MHz e respondam às chamadas que serão efectuadas.
Vamos todos contribuir para que os jovens se entusiasmem com o radioamadorismo e com o CW!

O indicativo que será utilizado será o CR5EJO e os contactos serão premiados com um diploma alusivo ao evento.

Prevê-se que, por volta do meio-dia, os jovens estarão no ar, sob a supervisão do também membro do GPCW, João Carlos Morgado, CT1BQH.
Participam ainda na actividade os colegas, CT1BXT, Rodrigo Ferreira e o CT1FFU, António Matias. O CT1DBS, Pedro Carvalho, deu algum apoio administrativo.

Esta é uma actividade que reputamos de meritória pois permite a envolvência dos jovens no radioamadorismo!

Desejamos a todos, executantes e operadores de CW uma excelente actividade.

Vy 73 ES HPE FB!

oMorse no parque

 

Parabéns aos novos telegrafistas!

Um OM só se sente telegrafista quando se faz o primeiro QSO em telegrafia auditiva e com as mãos na chave!
E é sempre suado!

Vencido o “medo da chave”, o GPCW congratula publicamente os novos telegrafistas, oriundos dos segundos cursos online – nível 1 – , pelos seus primeiros QSOs com estações nacionais ou estrangeiras.

Estes primeiros QSOs ocorreram nos últimos dias e, por isso, estão de parabéns, os seguintes OMs:

  • Pedro Namora, CT1EKD
  • Manuel Fernando Pereira, CT1BXX
  • David Palma, CT1EKU

Acreditamos que o exemplo destes OMs é mais um incentivo aos restantes colegas que frequentam, com eles, o Curso de CW online do GPCW.
Esperamos, assim, ter oportunidade de, rapidamente, congratular os restantes OMs destes cursos!

O GPCW envia, também, um agradecimento aos Ensinadores, pelo esforço e dedicação ao ensino do CW. São eles:

  • António Gamito, CT1CZT
  • João Lima, CU3AA

Estes cursos são o exemplo que a vontade, aliada aos recursos existentes, podem fazer mover montanhas!

As inscrições para os cursos CW online, nível 1, são aqui: https://gpcw.blog/cursos-de-cw/cw-na-lentidao-nivel-1/

 

Hoje não há Acções Radiotelegráficas QRS…Porque amanhã há Concurso!

patrocinadores

Como planeado, hoje não não haverá o tradicional Acções QRS devido a amanhã ocorrer o 3º mini-concurso do Concurso Lusitano de CW 2018.

Claro que não há qualquer impedimento para os colegas que quiserem aparecer mas o “dia de folga” do Acções Radiotelegráficas QRS serve para os “atletas” terem tempo para afinar toda a “artilharia morsística” para amanhã à noite.

E amanhã é que é. Das 2100 às 2159z convocam-se todas os OMs e a propagação para muitos e bons QSO.
A consulta do Regulamento pode ser feita aqui!

O GPCW deseja para amanhã à noite GL a todos OMs!

Umas botas que promovem a segurança usando CW!!!!

Usando o dedo do pé para manipular, transmitem-se e recebem-se mensagens!

Mostrado no Mobile World Congress, em Barcelona.

Nem se percebe porque é que o apresentador da BBC pergunta se isto é a sério.
Só porque a ele lhe parece uma loucura ?!…

http://www.bbc.com/news/av/embed/p05zfy49/43205947

108º ano após o início das comunicações radiotelegráficas na Marinha Portuguesa

Refª – Vídeo no final do texto

Comemora-se  a 16 de Fevereiro, o 108º aniversário da ligação radiotelegráfica entre Vale do Zebro* e o Posto Radiotelegráfico do Arsenal da Marinha, que marca o início das comunicações regulares usando “Telegrafia Sem Fios” (T.S.F.) naquele ramo das Forças Armadas.

posto radiotelegrafico casa da Balança 1
Posto Radiotelegráfico da Casa da Balança, em Fevereiro de 2016
Crédito: Fotografia da Marinha Portuguesa​​​ (www.marinha.pt)

Na comunicação apresentada na Academia de Marinha, pelo Membro Efectivo Contra-Almirante Leiria Pinto, em 1 de Junho de 2010, intitulada “AS COMUNICAÇÕES NA MARINHA – Dos primórdios a 1975” pode ler-se:

Foi a 16 de Fevereiro de 1910, a data histórica de que presentemente se comemora o centenário, quando Vale de Zebro é ligado ao Posto Radiotelegráfico do Arsenal da Marinha, recém instalado na Casa da Balança**,  o qual se considera a primeira estação radiotelegráfica portuguesa.

No fim do ano de 1910, além destes dois postos, dispunham de equipamentos radiotelegráficos os seis cruzadores; “S. Gabriel”, “Almirante Reis” (ex. “D. Carlos”), “São Rafael”, “Adamastor”, “Vasco da Gama” e “República” (ex. “Rainha D. Amélia”).

Estavam assentes os alicerces da T.S.F. na Marinha, tornava-se agora necessário estabelecer os vários pólos radiotelegráficos que permitissem uma rede de comunicações alargada e consolidada.

Em 1913, o Posto da Casa da Balança é aberto ao serviço público móvel marítimo, sendo considerado, por esse facto, a primeira estação pública de T.S.F..
Era já a “Marinha de duplo uso”.

* NR – Actualmente é a Escola de Fuzileiros.
** NR – Actuais Edifícios da Administração Central da Marinha, na Av Ribeira das Naus, em Lisboa.

Vídeo – Centenário da Radiotelegrafia na Marinha

Morse ou CW!

Saber morse (CW) é uma coisa pessoal, tal como tocar um instrumento ou conseguir efectuar uma manobra atlética.

Muitas pessoas gostam de estudar o CW como se estuda uma língua estrangeira, com os mesmos períodos de avanço repentino separados por necessários períodos de repetição.

Ser um operador de CW é uma sensação de superação que nunca se esquece!

A parte mais importante para aprender o código Morse é apenas insistir (prática).
Existirão dias em que a conquista de novas letras e velocidades mais altas parecem vir sem esforço. Existirão dias em que o progresso parece difícil.

Em qualquer caso, o mais importante é continuar, porque o cérebro está a estabelecer novas relações nos sons que escuta.

À medida que mais se perceciona o código, mais importante é “utilizá-lo” na vida quotidiana.
Por exemplo, ao conduzir para o trabalho pode assobiar ou fazer mentalmente o CW correspondente a matrículas, placas de informação ou publicidade.

Assim como se vai praticando línguas estrangeiras nos itens que usamos, deve usar-se o código, repetidamente, para torná-lo familiar.

Em breve, notar-se-á que é possível “copiar” facilmente “trechos” de cw que pareciam impossíveis alguns dias antes.
Caracteres que pareciam irremediavelmente confusos tornar-se-ão tão naturais como a nossa fala.

O cw está ao seu alcance de quem estiver disposto a tentar!

Traduzido de Hamradio for dummies, pag 68 e seguintes

Dia Mundial da Rádio – 13 de Fevereiro

Sugestão:
Comemore este Dia fazendo, pelo menos, um QSO.
A rádio é a “praia do radioamador”!

O Dia Mundial da Rádio foi deliberado na 67ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em 14 de Fevereiro de 2013, sob proposta da UNESCO, sendo a proposta inicial da Espanha, realizada em 2011.

A data de 13 de Fevereiro foi a data que marcou o inicio das emissões da Rádio Nações Unidas, em 1946.

Relembra-se que a rádio é o meio de comunicação com  maior audiência no mundo.
É ainda reconhecido como sendo uma potente ferramenta de comunicação com um custo modesto.

A rádio é especialmente capaz para chegar a comunidades que vivem em zonas remotas e a pessoal vulneráveis: O analfabetos, os deficientes, aos jovens, aos pobres.
Permite, no entanto, a suscitar o debate público, independentemente do grau de literacia dos ouvintes.

Tem ainda, um forte e único papel nas comunicações de emergência e na reabilitação das sociedades após as catástrofes.

A face da rádio tem vindo a mudar, nestes tempo de convergência dos meios de comunicação social, tendo sabido manter-se a par com as novas tecnologias e, tirando partido destas, sabido adoptar novas formas, utilizando internet de banda larga, telefones e tablets.
Contudo, é necessário realçar que, mesmo com toda esta diversidade, calcula-se que um mil de milhões de pessoas ainda não têm acesso a escutar emissões de rádio!